O que já se sabe sobre o assalto no aeroporto Quero-Quero, em Blumenau

0

Cinco dias depois do assalto a um avião na pista do aeroporto Quero-Quero, em Blumenau, a Polícia Militar desencadeou uma operação para prender suspeitos nesta terça-feira, 19. Até 12h, três homens haviam sido presos em Navegantes e Gaspar.

Três veículos foram apreendidos e parte dos R$ 9,8 milhões roubados foi encontrada em Itajaí. Materiais relacionados ao roubo, inclusive munições calibre .50 e explosivos, foram apreendidos em uma falsa ambulância, em Navegantes.

Confira abaixo tudo o que já sabe sobre o assalto, considerado o maior já registrado na região.

Como foi o assalto

Duas caminhonetes pretas blindadas se aproximaram do portão de uma empresa que possui um hangar no aeroporto Quero-Quero, em Blumenau, às 15h10 de quinta-feira. Menos de 10 minutos depois, os dois veículos saíram pelo mesmo acesso levando malotes da empresa Brinks Logística de Valores.

Os malotes foram roubados em uma ação violenta que deixou uma jovem de 22 anos morta e dois vigilantes da Brinks feridos nas pernas. Edivania Maria de Oliveira trabalhava numa indústria têxtil vizinha e foi atingida por balas perdidas.

Arquivo pessoal

Carros-fortes, caminhões da empresa de logística Fedex (no hangar vizinho), vidraças e paredes de imóveis próximos ficaram cheios de marcas de tiros de grosso calibre. Em um vídeo feito por uma vizinha do aeroporto, é possível ouvir o tiroteio e ver os bandidos ao fundo.

Quando deixaram o Quero-Quero, os bandidos viraram à esquerda rumo à Vila Itoupava. Os dois carros blindados, um Dodge Journey e um BMW X5, foram abandonados no mato na rua Luiza Bauer, uma transversal da Erich Mayer, na Vila Itoupava. Os veículos estavam cobertos de camuflagem.

Polícia Militar/Divulgação

Armamento pesado

Logo no início das investigações, foi possível detectar que os assaltantes haviam utilizado fuzis AK-47 posicionados no interior da BMW X5. Além disso, munições .50 foram disparadas contra a aeronave, os carros-fortes e prédios próximos. Elas são usadas até para atacar aviões.

Preparação do assalto

No fim da tarde de sexta-feira, o Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar encontrou uma casa que teria sido usada como base pela quadrilha. O imóvel fica na região do Vale do Selke, em Blumenau. O imóvel teria sido ocupado por pelo menos três meses para planejar o crime.

Evandro de Assis

Valor roubado

No boletim de ocorrência registrado junto à Polícia Civil, a Brinks Logística de Valores informou que os bandidos levaram R$ 9,8 milhões. O dinheiro estava em malotes no interior do avião e seria transportado para os carros-fortes.

A fuga

Depois de abandonar as caminhonetes blindadas na Vila Itoupava, os bandidos usaram um veículo caracterizado como ambulância do Samu para escapar. Moradores da região estranharam a passagem do veículo de socorro pelo local. Segundo a Polícia Militar, um Fiat Fiorino também foi usado pelos bandidos.

A Polícia Militar usou câmeras de monitoramento para traçar o caminho que os veículos fizeram e descobriu, em Ilhota, um esconderijo usado pela quadrilha.

O esconderijo

O destino final dos veículos, ainda no dia do assalto, foi um galpão na região do Morro do Baú, em Ilhota. O imóvel foi identificado pelo setor de inteligência da Polícia Militar e começou a ser monitorado na segunda-feira, 18.

Na madrugada desta terça, a ambulância e um Prisma, com placas de Balneário Camboriú, deixaram o local e passaram a ser perseguidos pela PM.

A ambulância

Divulgação

A falsa ambulância do Samu saiu do Baú em direção à BR-101. O motorista virou à esquerda na rodovia e depois entrou à direita na Transbeto, que dá acesso ao Beto Carrero. Depois, seguiu para Navegantes.

O veículo foi abandonado em uma rua residencial e o suspeito tentou fugir a pé, mas acabou preso.  A ação da PM foi filmada por um morador.

Perseguição

Na região de Gaspar e Ilhota, policiais militares montaram diversas barreiras em estradas vicinais. Por volta das 10h desta terça, o Prisma branco foi encontrado na rua José Junges, bairro Arraial D’Ouro. Minutos depois, dois homens foram presos em um táxi com placas de Balneário Camboriú.

Polícia Militar/Divulgação

Os detidos

Tiago Cristiano Schuster, 33 anos, era o motorista da ambulância falsa. Segundo a PM de Itajaí, familiares dele já teriam participado de ataques a caixas eletrônicos no litoral.

Ricardo Freitas filho e Juliano Mocelin da Luz foram presos no táxi, na região de Gaspar.

Ao menos oito pessoas participaram do assalto. A operação de buscas continua, especialmente em Itajaí e Balneário Camboriú.

Dinheiro encontrado

Um valor ainda não divulgado foi encontrado no fim da manhã de terça-feira no Hotel Rocha, na Avenida 7 de Setembro, em Itajaí.

Provas do crime

Até o momento, a polícia já encontrou malotes onde estava armazenado o dinheiro, munições calibre .50, radiocomunicadores, fardas camufladas, coletes balísticos e bananas de dinamite.

Fonte: O município

https://omunicipioblumenau.com.br/o-que-ja-se-sabe-sobre-o-assalto-no-aeroporto-quero-quero-em-blumenau/

Share.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: