Menino de 9 anos morre após levar picada de escorpião em Piracicaba

0

Família diz que criança demorou a ser atendida no pronto-socorro da Vila Rezende. Ele foi transferido para a Santa Casa e morreu na unidade médica.

Um menino de 9 anos morreu, na manhã desta sexta-feira (25), após levar uma picada de escorpião em Piracicaba (SP). Segundo a família, ele foi levado para o pronto-socorro do bairro Vila Rezende logo após o incidente, mas demorou a ser atendido.

Giovane Cordeiro Trevelin foi picado na manhã de quinta-feira (24) em casa, no bairro Algodoal, depois de calçar o sapato. Ele foi levado para o pronto-socorro e só foi atendido depois de duas horas de espera, segundo Andrea Luiz, tia do garoto. “Só atenderam a hora que ele começou a passar mal mesmo”, relatou.

Ainda de acordo com a tia, o garoto foi transferido para a Santa Casa e ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) até a manhã desta sexta, quando teve uma parada cardíaca e morreu. O médico que atendeu o menino disse aos familiares que o veneno se espalhou pelo corpo.

A Santa Casa, onde Giovane ficou internado, informou que ele deu entrada às 8h11 de quinta e morreu às 6h30 de sexta, mas não deu mais detalhes sobre as causas da morte.

O G1 também entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde, responsável pelo pronto-socorro, para um posicionamento sobre a reclamação de demora no atendimento. Até a publicação da reportagem, não teve retorno.

Terceiro caso na região
A morte de Giovane foi a terceira por picada de escorpião na região. Em Americana (SP), Cauã Ferrari Santos foi atingido no dia 11 de agosto. Famíliares também reclamaram da demora para obtenção do soro antiescorpiônico e a ausência de UTI pediátrica. O garoto deu entrada em um hospital particular da cidade e foi transferido para Campinas via central reguladora de vagas.

Em Limeira (SP), um menino de quatro anos morreu no dia 17 de agosto. De acordo com a Santa Casa, hospital onde estava internado, ele deu entrada um dia antes por picada de escorpião.

Segundo o padrastro de Aliff Silva Souza, o menino foi picado quando saía de casa para ir à escolinha. O escorpião estava no sapato do menino. “Ele saiu reclamando da perna, só que nós não encontramos nada. Aí na creche, tirou o sapato lá, mas não viu também, achou que ele tinha quebrado o dedo”, conta Getúlio Honório de Almeida.

Os casos aumentaram em toda a região. Em Campinas, há aumento de casos nos últimos anos, em 2015 foram 134, em 2016 os registros aumentaram para 208 e até julho de 2017 já são 88.
Em Limeira os números são ainda maiores. Foram 416 casos em 2015, em 2016 foram 545 e neste ano já são 263. Em Santa Bárbara d’Oeste foram 180 em 2015, e 260 em 2016 e 108 até esse início de agosto.

Fonte: G1

Share.

Comments are closed.