Todos os anos, 180 mil novos casos de câncer de pele são registrados no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca). O número corresponde a 33% de todos os diagnósticos da doença no país e mantém aceso o alerta para a necessidade de conscientização da população. Em Santa Catarina, a taxa de incidência é a maior do Brasil, na casa de 120 a 130 casos de câncer de pele para cada 100 mil habitantes.

 

O dermatologista  André Ricardo Adriano, afirma que as pessoas já estão mais cuidadosas quanto a não se expor excessivamente ao sol, mas reforça que este não é o único cuidado a ser tomado. “O combate ao câncer de pele se dá no cuidado diário, com o uso de filtro solar, óculos e chapéus, além de – sempre que possível – optar por roupas compridas ou com fotoproteção na trama do tecido”.

 

O dermatologista explica que o alto índice de incidência da doença no estado também está atrelado a características como pele e olhos claros, muito presentes na região. Entretanto, ele destaca que outros fatores podem aumentar as chances de surgimento da doença, como, por exemplo, mais de 50 pintas pelo corpo e histórico familiar. Para André, estes aspectos reforçam a necessidade de consulta anual ao médico para avaliação da pele, bem como corroboram a importância da proteção diária da mesma.

 

Dicas para se prevenir

 

  • Aplicar filtro solar diariamente com proteção UVA e UVB, nas áreas expostas, mesmo quando for ficar dentro de casa.
  • Evitar exposição excessiva ao sol, principalmente entre 10h e 16h, período em que a radiação UV é maior.
  • Utilizar roupas e acessórios que protejam do sol, como óculos, chapéu/boné e roupa longa ou com fotoproteção no tecido.
  • Consultar anualmente um dermatologista para análise do estado da pele e possíveis lesões.
  • Monitorar o surgimento ou alterações em pintas pelo corpo, caso mudem de tamanho ou de cor e até mesmo que apareçam novas manchas.

 

Outro cuidado que deve ser observado é quanto às características que devem estar presentes em um bom e eficiente protetor solar. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, os fotoprotetores são capazes de prevenir os males provocados pela exposição solar – como o envelhecimento precoce e a queimadura solar, além do câncer da pele -, mas para isso é preciso que o produto atenda alguns aspectos: ter boa absorção dos raios UVA e UVB, não ser irritante e ter certa resistência à água.

 

O tipo do produto (gel, creme, loção, spray, bastão) também deve ser considerado, pois isso auxilia na prevenção de acne e oleosidade, comuns quando se usa produtos inadequados para cada tipo de pele. Pacientes com tendência a acne devem optar por produtos livres de óleo ou gel creme. Já aqueles pacientes que fazem muita atividade física e que suam bastante, devem evitar os géis, pois saem facilmente.

 

Share.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: